Estava indo votar, um homem atravessou a rua e veio na minha direção me intimidando por estar com uma bandana do PT. Gritou que vergonha como tu pode estar usando isso? Tentando me constranger eu com muita calma falei cidadão vai votar e passei por ele. Continuou me chingando me dizendo pra aprender a votar e mandando estudar história, nessa hora eu ri e desestabilizou ele. Segui meu caminho andando rápido.

Anônimo, mulher, branca, heterossexual, 21, RS

Estava defendendo minhas posições em alguns grupos de WhatsApp e eles passaram meu número para varias pessoas q eu nem conheço q me enviaram diversas mensagens me ameaçando e xingando no meu privado do WhatsApp. Tive q sair de todos os meus grupos

Otávio, homem, pardo, heterossexual, 35, GO

Eu estava andando de bicicleta na Praia de Botafogo voltando de um médico e um cara que estava na avenida jogou o carro em cima de mim me espremendo no meio fio e gritou “Bolsonaro 17!”. Eu não fiz nada. Só estava usando uma capa de chuva vermelha.

Anônimo, mulher, branca, outro, 28, RJ

Cheguei já no final do ato contra Bolsonaro, e assim que cheguei fui abordada pela policia e acusada de pichar a base da PM. Não resisti e falei que acompanharia eles para ver o vídeo, porque eu estava no trabalho até aquele momento e não era eu no vídeo que eles diziam ser a prova contra mim. Fui levada ao DP, minha advogada agredida pela PM junto comigo, fui coagida e tiraram fotos minha mesmo eu nao sendo fichada. Fui liberada por provar nao ser autora ou coautora, e no dia seguinte a foto tirada pelos policiais dentro da delegacia foi vazada com o titulo “professora é presa pichando base da PM em Chapecó”. Fui difamada pelo Brasil inteiro, tive meus dados divulgados na ocorrência que vazou SEM A PARTE QUE DIZ QUE NADA TINHA A VER COM A ACUSAÇÃO POR NÃO ESTAR PRESENTE NO LOCAL. Agora estou ameaçada e com meu rosto circulando em grupos de extrema direita que pedem meu linchamento.

Fernanda Teixeira Corrêa, mulher, parda, heterossexual, 28, SC

Publiquei a hashtag ele não no facebook e os meus motivos para defende-lá e membros da minha família vieram me acusar de estar defendendo comunismo e participando de um movimento “modinha”. Ainda acusar a minha universidade estadual de não ser composta por democracia que engloba todos os tipos de posicionamento político e me enquadrando a esse aspecto.

Anônimo, mulher, parda, heterossexual, 18, RJ

Eu estava no metrô com a minha namorada e dois homens nos encaravam. Minha namorada saiu uma estação antes e quando desci na estação Sacomã um deles me seguiu. Entrei no banheiro para despistar, mas quando eu saí ele estava me esperando. Fui até o guichê dos funcionários fingir que ia pedir uma informação e ele foi embora. Quando finalmente fui para o terminal de ônibus, vi que ele estava de longe ainda me olhando. Entrei no ônibus e fui embora morrendo de medo.

Priscilla Pozzi, mulher, branca, lésbica, 24, SP

Foi pela internet, mas a pessoa era minha “amiga” no Facebook. Publiquei algo falando do Bolsonaro e o homem comentou assim “como diz o mito, tem mulher que não merece nem ser estuprada”.

Fernanda, mulher, branca, bissexual, 31, PR

Recebi uma mensagem inbox no Facebook sem justificativa alguma me chamando de criminosa e me mandando para Venezuela, não conheço a senhora em questão.

Ana Luiza, mulher, branca, heterossexual, 29, PR

Fui ofendido diversas vezes em uma matéria que produzi sobre a manifestação contra o Bolsonaro em Volta Redonda.

Raone Ferreira, homem, branco, heterossexual, 27, RJ

Estava atravessando a Lagoa Rodrigo de Freitas perto do Vasco da Gama de Remo com a minha companheira. Não estava de mãos dadas, não usava adesivo e não usava nenhuma camisa que pudesse remeter a algum partido ou candidato. Ao abrir o sinal, o motorista de um dos carros que estavam parados no sinal gritou: Bolsonaro nelas!

Anônimo, mulher, branca, lésbica, 49, RJ