Estávamos subindo a escada rolante na saída do metrô da Cinelândia e dois homens tentaram remover adesivos do #EleNao da mochila de uma moça. Ela sentiu puxarem a bolsa e colocou a bolsa para frente. Um dos homens gritou: “Vagabunda, depois morre e não sabe o motivo!” Atrás deles havia um PM que nada fez e ainda riu.

Thamires, mulher, parda, heterossexual, 38, RJ

Eu estava na calcada da rua dona mariana em botafogo. No quarteirao entre a voluntarios da patria e a mena barreto, quando passei por um senhora , de cabeça branca, olhou para mim e disse ” voce merece ser estuprada para aprender em quem votar.” Eu estava de blusa branca , trazendo apenas 1 unico e discreto adesivo #elenao. Ela passou por mim e continuou falando com desdenho e nojo. Um senhor que estava passando perguntou o que estava acontecendo. Meu marido e minha filha perceberam a movimentação estranha e ficaram tb sem entender por que eu estava meio atonita do outro lado da calçada.

Rita, mulher, branca, heterossexual, 50, RJ

Quando o resultado do 1º turno das eleições foi divulgado (noite de 07/10), eu e minha namorada fomos ofendidas por um carro que passava pela Avenida Angélica. Quando perceberam que caminhávamos de mãos dadas, gritaram “chupa suas sapatonas nojentas, filhas da puta, agora vai ter bolsa piroca pra vocês se curarem”. Então um dos rapazes que estavam dentro do carro abaixou as calças e mostrou o pênis para nós. Depois disso, o carro arrancou em velocidade e não conseguimos anotar a placa

Anônimo, mulher, branca, bissexual, 25, SP

Estava no hospital com a minha filha, uma amiga mandou audio falando sobre a situação do pais e eu respondi com a minha posição politica, neste momento um homem que estava na recepção me chamou de vagabunda e disse que não via a hora de eu chorar quando minha filha fosse estuprada. As pessoas estão descontroladas.

Anônimo, mulher, branca, heterossexual, 31, SP

Eu estava andando de bicicleta na Praia de Botafogo voltando de um médico e um cara que estava na avenida jogou o carro em cima de mim me expremendo no meio fio e gritou “Bolsonaro 17!”. Eu não fiz nada. Só estava usando uma capa de chuva vermelha.

Anônimo, mulher, gay, 28 anos

Aconteceu com alguém que eu conheço. Ele foi atropelado de noite por estar usando uma camiseta de Lula. Na noite do dia de eleição.

Anônimo, mulher, hétero, 21 anos, PR

Estava com uma camiseta preta e um bottom do PSOL, um homem me empurrou pro chão e disse que no governo de Bolsonaro não teria espaço para vagabundas.

Anônimo, mulher, lésbica, 27 anos, SP

Suposto amigo da família disse para mim e meu marido que mulheres que foram no protesto do dia 29/09 são “cadelas feminazis que merecem apanhar em casa e serem estupradas para aprenderem o seu devido papel na sociedade, que é de agradar aos homens”, com exatamente essas palavras e sem nenhum humor envolvido. Mesmo com homens e mulheres o confrontando pela opinião, ele ainda disse que só a escória feminista aproveitadora está incomodada com o direito que ele supõe ter de bater em gays, agredir mulheres e desmerecer negros.

Fernanda, mulher, hétero, 35 anos, MG

Uma amiga depois de ter votado foi a um bar em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Os donos são conhecidos dela e sabem o posicionamento político dela, perguntaram em quem ela votou e ela disse: Boulos 50. Eles começaram a agredir verbalmente, com insultos, discurso de ódio, etc.

Anônimo, mulher, bissexual, 26 anos, RJ

Eu estava voltando pra casa e um cara gritou: “Amanhã é Bolsonaro no primeiro turno e você vai votar nele, também”. Como ele estava acompanhado de outro cara e duas mulheres, eu respondi que votaria em quem eu quisesse. Aí ele falou que eu ia sim votar no Bolsonaro. Foi quando eu me irritei e falei: “Nem fodendo”. Ele começou a me xingar, falar que eu ia morrer e me chamar de petista e ameaçou correr atrás de mim, mas o outro cara segurou ele. Ele continuou me xingando coisas horrorosas e as meninas ficaram dando risada. Fiquei tremendo de medo.

Bianca, mulher, hétero, 28 anos, SP